Sobrecarga de energia pode causar incêndios

A alta das temperaturas, registrada nessa época do ano, faz com que várias pessoas utilizem equipamentos para refrigeração e circulação do ar em suas residências. No entanto, a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) alerta que é preciso cuidado. A falta de estrutura nas instalações elétricas internas  podem representar risco de interrupções de energia ou mesmo incêndio.

 

O número de incêndios no Brasil causados por sobrecargas elétricas saltou de 295, em 2014, para 441, em 2015, um aumento de 49%, de acordo com dados da Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade – Abracopel.

 

Nas últimas décadas,  houve um aumento muito grande no número de equipamentos ligados e, muitas vezes, em construções mais antigas, as estruturas elétricas podem não estar preparadas para suportar essa nova demanda.  Queima de fusíveis e desarme de disjuntores são sinais de que há algum problema nas instalações elétricas.

 

Segundo o engenheiro eletricista da Cemig, Demetrio Venicio Aguiar, é sempre importante contratar profissionais qualificados para executar qualquer serviço elétrico. “Sem o conhecimento técnico, é comum que em casos de sobrecarga se troque apenas o disjuntor ou a chave fusível e a fiação continue recebendo energia além do previsto, uma situação de altíssimo risco para incêndio”.

 

A sobrecarga também pode ocorrer devido ao uso inadequado das instalações elétricas,  por exemplo, a utilização de Ts, benjamins ou extensões que podem triplicar a corrente de energia em uma única tomada da instalação. Essas soluções improvisadas nas instalações elétricas são totalmente desaconselháveis e perigosas.

Compartilhe esta notícia nas suas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Atenção! Os textos, fotos, artes e vídeos do Mais Completo estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em quaisquer outros veículos de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. Sinta-se a vontade para compartilhar nossos conteúdos em suas redes sociais!